Noite Epi estreia novo tema da Força-tarefa TiLS Covid-19

A próxima Noite Epi inaugura o novo tema a ser trabalhado pela Força-tarefa TiLS Covid-19: Testes e Diagnósticos para Covid-19. O evento on-line será nesta quinta-feira, dia 8 de julho, às 7 pm (horário de Brasília GMT – 3), com o título “Testes diagnósticos da Covid-19 como ferramenta da vigilância epidemiológica”.

 

Os testes para o diagnóstico de Covid-19 são descritos como uma ferramenta essencial para rastrear a propagação da doença. Existem diversos testes disponíveis, o que pode gerar dúvidas sobre qual seria mais adequado conforme o objetivo ou a etapa da possível contaminação, por exemplo detectar uma infecção atual ou passada. O diagnóstico laboratorial para SARS-CoV-2 pode ser realizado tanto por testes de biologia molecular, como por sorologia ou testes rápidos de antígeno ou anticorpos.

 

A Noite Epi traz mais informações sobre o assunto, os tipos mais utilizados, as diferenças entre eles, destacando a operacionalização desses testes, em especial pela saúde pública. Nossa roda de conversa conta com a participação especial de Marcela Gambim, Coordenadora do Laboratório de Sorologia da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da COVID-19 da Fiocruz Ceará; Eduardo Ruback, Coordenador da Biologia Molecular da Fiocruz Ceará e Emerson Araújo, Consultor técnico na Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública no Ministério da Saúde.

 

Testes e diagnóstico como medidas preventivas

O encontro será mediado por Sérgio Beltrão, responsável técnico da força-tarefa. Segundo o epidemiologista,

“os testes de rastreio são considerados elementos-chave no sistema de vigilância em saúde em todo o mundo. Praticamente todos os agravos que sejam relevantes no contexto da saúde pública e que disponham de métodos de avaliação rápida, aplicáveis em massa, com altas sensibilidade e especificidade, deveriam ser monitorados. A identificação precoce dessas condições ou, até mesmo, a detecção enquanto as manifestações são subclínicas (praticamente assintomáticas) tornam essas doenças mais fáceis de tratar do que em situações mais graves”. 

 

Beltrão ressalta que “diagnóstico precoce é prevenção! E prevenir é melhor do que remediar, tanto nas questões crônicas de saúde (aquelas que geralmente nós tratamos em Unidades Básicas de Saúde e ambulatórios especializados), como em situações agudas (que demandam atendimento em Unidades de Pronto Atendimento ou hospitais, por exemplo). Quando você precisar novamente de atendimento médico, pergunte sobre quais as doenças mais comuns entre pessoas na sua idade e veja se estão em dia todos os exames que podem colaborar com um bom monitoramento da sua saúde”.

 

Participe pelo Zoom ou acompanhe pelo nosso canal no YouTube. Epidemiologia, boas conversas e excelentes insights! A Noite Epi é uma ação da Força-tarefa TiLS Covid-19, coordenada pela ProEpi, com a parceria da Sala de Situação de Saúde da UnB e o apoio da Skoll Foundation.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Esse site utiliza cookie de captura.