ProEpi forma epidemiologistas de campo e inicia nova turma em Cabo Verde

      O Programa de Treinamento em Epidemiologia de Campo de Cabo Verde, o EpiCV, formou a primeira coorte do país, no mês de setembro. Os doze novos epidemiologistas de linha de frente apresentaram os produtos desenvolvidos, que avaliaram cenários e ações de vigilância em saúde para gestores do país.

      O treinamento contou com três ciclos de oficinas com aulas teóricas e atividades de campo que tiveram início em junho deste ano, sob orientação dos tutores voluntários Ana Rita Cardoso, Aymée Medeiros, Isaquel Bartolomeu Silva, Nivreanes Gomes e Veruska Maia, e coordenação da resident advisor, Sarah Mendes, do assessor especialista, Jonas Brant, e da presidente e diretora-executiva da ProEpi, Sara Ferraz.

      “A capacitação desses 12 profissionais articulando a saúde humana, animal e ambiental na perspectiva de One Health é um dos grandes méritos do EpiCV”, explica a resident advisor, que ainda ressalta a experiência de investigação de mortandade de peixes que ocorreu em Praia, capital do país, como um dos pontos mais importantes das atividades de campo desenvolvidas. “Soubemos da situação em meio ao segundo ciclo de oficinas, no qual estávamos justamente trabalhando o tema investigação de surto. Organizamos a equipe e fomos a campo. Foi uma experiência que possibilitou aos formandos vivenciarem muito daquilo que estávamos abordando na teoria”, explica Saraha Mendes.

      O diretor nacional de Saúde de Cabo Verde, Dr. Jorge Barreto, ressalta a importância do Programa para o fortalecimento da saúde pública. O EpiCV é um sonho antigo e fruto de uma rede de parceiros, dos quais destaca-se a atuação da ProEpi. Segundo a Dra. Maria da Luz Lima, presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, a possibilidade de haver um treinamento elaborado em língua portuguesa pela ProEpi foi um grande diferencial para a preparação dos profissionais de linha de frente. “O treinamento é um marco importante em nosso sistema, uma vez que temos carência de epidemiologistas de campo. Isso vai nos ajudar amplamente a fortalecer a saúde pública de Cabo Verde”, completa a presidente. Desdobramentos imediatos do Programa são a criação de uma rede de epidemiologistas de campo de Cabo Verde e a integração de tutores locais já na segunda coorte.

      O EpiCV passou a integrar o Plano Nacional de Saúde de Cabo Verde, conforme celebra a presidente e diretora-executiva da ProEpi, Sara Ferraz, na ocasião do início da segunda coorte do treinamento, em setembro: “Nós começamos um marco histórico com a primeira turma e temos um compromisso grande nas mãos que é dar continuidade a esse trabalho. O que fazemos aqui não é apenas mais um treinamento, mas, sim, um divisor de águas na atuação na vigilância em saúde. O Programa já faz parte da história da saúde de Cabo Verde”.

      A nova turma conta com 17 formandos e com três novos tutores: Jaelsa Moreira e Silvínia Duarte, egressas da primeira turma e tutoras locais, além de Luciano Pamplona, epidemiologista da ProEpi. Ao longo de 12 semanas, os treinandos, oriundos de diferentes ilhas do arquipélago, têm participado das oficinas presenciais e atividades de campo.

      O EpiCV é fruto de construção conjunta com o Instituto Nacional de Saúde Pública e o Ministério da Saúde de Cabo Verde, o Escritório Regional da OMS no país, a Organização Oeste Africana de Saúde (OOAS), o Centro de Prevenção, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC Atlanta), entre outros.

      A iniciativa faz parte das ações da Força-tarefa TiLS Covid-19, uma realização da ProEpi em parceria com a Sala de Situação de Saúde da Universidade de Brasília e a Skoll Foundation.

Language »
Esse site utiliza cookie de captura.