24 de março | Dia Mundial de Combate à Tuberculose

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer órgãos como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

A data foi criada em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. E com o objetivo de aumentar a conscientização pública sobre as consequências devastadoras da TB nas áreas da saúde, sociais e econômicas e para intensificar os esforços para acabar com a epidemia global da doença.

Alguns dados sobre a tuberculose no mundo:

  • 63.000.000 de vidas foram salvas desde o ano 2000 como resultado dos esforços globais para acabar com a doença;
  • 10.000.000 de pessoas adoeceram de tuberculose em 2019;
  • 1.400.000 pessoas morreram de tuberculose em 2019;
  • 465.000 pessoas adoeceram com tuberculose resistente a medicamentos em 2019.

A doença tem profundas raízes sociais e cerca de 80% dos casos estão concentrados em 22 países. A falta de recursos destinados à prevenção e ao diagnóstico leva à detecção tardia e subnotificação dos casos, enquanto as baixas condições sanitárias favorecem o contágio.

Calcula-se que, durante um ano, em uma comunidade, uma pessoa com tuberculose pulmonar e/ou laríngea ativa, sem tratamento, possa infectar, em média, de 10 a 15 pessoas.

Sinais e sintomas mais frequentes:

  • Tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue;
  • Cansaço excessivo e prostração;
  • Febre baixa geralmente no período da tarde;
  • Suor noturno;
  • Falta de apetite;
  • Emagrecimento acentuado;
  • Rouquidão.

A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotículas de saliva que podem ser aspiradas por outro indivíduo.

Diagnóstico

O diagnóstico da tuberculose é realizado com radiografia do tórax, além de exames laboratoriais e escarro do paciente (baciloscopia).

Prevenção e tratamento

O abandono do tratamento para Tuberculose é considerado um dos principais problemas para o controle da doença, porque implica na persistência da fonte de infecção, consequentemente no aumento da mortalidade e das taxas de recidiva, além de facilitar o desenvolvimento de cepas de bacilos resistentes.

Como opções, a vacina BCG é obrigatória para menores de um ano, pois protege as crianças contra as formas mais graves da doença. O tratamento contra a Tuberculose pode durar de seis meses a um ano e é feito à base de antibióticos.  A melhor forma de prevenir a transmissão da doença é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível.O tratamento é gratuito e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

Texto por Mayara Lopes e Pedro Presta Dias

Referências

Ministério da Saúde

Acesse em: //bvsms.saude.gov.br/24-3-dia-mundial-de-combate-a-tuberculose/

Fundação Oswaldo Cruz — FIOCRUZ

Acesse em: https://portal.fiocruz.br/doenca/tuberculose#:~:text=Calcula%2Dse%20que%2C%20durante%20um,de%2010%20a%2015%20pessoas.

https://www.scielo.br/j/jbpneu/a/FkB55PzmkGZkrhmwb4bp4jn/?lang=pt#:~:text=O%20abandono%20do%20tratamento%20%C3%A9,de%20cepas%20de%20bacilos%20resistentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Esse site utiliza cookie de captura.