As emergências em saúde nem sempre são ocasionadas por doenças, você sabia?

O continente Europeu vive uma onda de calor com recordes de temperatura e tempo seco. No Reino Unido, as temperaturas alcançaram a marca de 40,2º C na última terça-feira (19), um recorde histórico no país. Na França a temperatura deve passar de 40º C, algo raro na localidade, já na península Ibérica, onde estão Portugal e Espanha, a onda de calor já matou mais de mil pessoas. A situação é tão crítica que foi emitido um alerta de calor nível 4 para segunda (18) e terça-feira (19) pela Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido (UKHSA), tal alerta significa que “doença e morte podem ocorrer entre os aptos e saudáveis, e não apenas em grupos de alto risco”. Meteorologistas atribuem a ocorrência de queimadas a intensa onda de calor no continente, e alertam para novos recordes de temperatura no início da próxima semana.

Diversas empresas britânicas de saneamento estão emitindo alertas de que a população pode enfrentar um sério abastecimento de água, na França e na Espanha, diversas pessoas tiveram que deixar suas casas por causa de incêndios florestais. Além do impacto na população que, agora se encontra desabrigada, os incêndios e o tempo seco também prejudicam a agricultura do continente, colocando pressão na produção de grãos, especialmente o trigo e o milho. O impacto nas lavouras, caso não haja ação a fim de remediar a situação, pode gerar uma situação de grave insegurança alimentar.

Imagem: REUTERS/Kevin Coombs

Com o advento da Covid-19 e sua gravidade, tornou-se comum relacionarmos emergências de saúde pública à surtos de doenças, causadas muitas vezes por vírus e parasitas que apresentem alta taxa de contaminação e transmissão no meio ambiente e na população. Porém, a emergência de saúde pública não se restringe somente à esses cenários. Segundo o Ministério da Saúde, as emergências de saúde pública envolvem diversos fatores como a vulnerabilidade social, econômica e ambiental, impactam de maneira prejudicial a saúde humana. Para o órgão, uma emergência de saúde pública caracteriza-se como uma situação que demande o emprego urgente de medidas de prevenção, de controle e de contenção de riscos, de danos e de agravos à saúde pública em situações que podem ser epidemiológicas (surtos e epidemias), de desastres, ou de desassistência à população. Portanto, os incêndios que vêm ocorrendo na Europa se caracterizam como uma situação de emergência em saúde pública. 

Relembre!

Em 2003 uma forte onda de calor atingiu a Europa onde, até então, foi o verão mais quente no continente Europeu desde 1540. Foram registradas cerca de 70 mil mortes em todo o continente onde, a França foi o país mais atingido, com cerca de 14 mil mortes. O impacto da onda de calor resultou em uma crise na saúde em diversos países e junto com a seca, criou um déficit nas colheitas em partes do sul da Europa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Esse site utiliza cookie de captura.